quinta-feira, 28 de julho de 2011

TEATRO RIVOLI - PORTO, A MINHA CIDADE NATAL!






* O "TEATRO RIVOLI" denominado oficialmente RIVOLI TEATRO MUNICIPAL, é uma sala de espetáculos localizada na cidade do Porto, concretamente no ângulo da Praça Dom João Primeiro e Rua Doutor Magalhães Lemos.
* No ano de 1913 foi inaugurado o então chamado "Teatro Nacional".
* Nos anos seguintes, mudanças no centro urbano obrigaram a repensar e modernizar o imóvel, e assim, no ano de 1923, aparecia o "Teatro Rivoli", remodelado, adaptado ao cinema e com programação de ópera, dança, teatro e concertos. O projeto arquitetónico é da responsabilidade do Arquiteto e Engenheiro Júlio Brito (*).
* Na década de setenta, a imagem do Teatro sofreu um revés, provocado por má situação financeira. Começou-se a degradar, com equipamento obsoleto, sem programação regular ou público próprio. Nessa altura a Câmara Municipal do Porto decidiu comprar a estrutura, de forma a devolvê-la à cidade e aos seus habitantes.
* No ano de 1992 o teatro fechou para uma total remodelação com projeto do arquiteto Pedro Ramalho (**). A área existente de seis mil metros quadrados foi ampliada para mais de onze mil, criando-se um Auditório Secundário, um Café-concerto, uma Sala de Ensaios e um Foyer de Artistas, assim como espaços para os Serviços Administrativos e os Serviços Técnicos.
* Posto isto, no mês de Outubro de 1997 o Rivoli Teatro Municipal reabriu as suas portas ao público.
* Em Julho de 2006, a Câmara do Porto anunciou a decisão de entregar a gestão financeira e cultural do espaço a entidades privadas.
* Em Outubro do mesmo ano, cerca de trinta pessoas - na sua maioria elementos do "Teatro Plástico" - barricam-se no interior do teatro, em protesto pela sua privatização, manifestação essa que ficou conhecida por "Rivolição".
* Ainda no mesmo ano (2006), mas no mês de Dezembro, a maioria no executivo, em reunião extraordinária privada, decidiu conceder a gestão do teatro ao produtor e encenador Filipe La Féria por um período de quatro anos com início em 01 de Maio de 2007. Seguiram-se duas providências cautelares que visavam anular o acordo, uma delas apresentada por outro concorrente. O Ministério Público considerou que a concessão do Rivoli tinha sido irregular.
* Atualmente o Rivoli é gerido por uma empresa constituida por Filipe La Féria - a "Todos ao Palco" - que paga à Câmara do Porto 5% das receitas de bilheteira.
* Sob a nova gestão realizaram-se os seguintes espetáculos:
a) - "Jesus Cristo Superstar" (com 150 mil espetadores);
b) - "Musica no Coração" (50 mil esperadores);
c) - "Um Violino no Telhado";
d) - "Piaf" (5 mil espetadores);
e) - "A gaiola das loucas" e,
f) - "Annie".
* Em Outubro de 2010, verifica-se uma situação bastante preocupante na gestão da empresa "Todos ao Palco" de Filipe La Féria com  salários em atraso assim como uma falta de programação. Não são apresentados espetáculos na sala grande do teatro desde Julho (há um ano) e fala-se na possibilidade de outra companhia apresentar o  próximo espetáculo. Significa isto uma quebra do contrato pela falta de programação no teatro, que não cumpre qualquer dinamização da baixa portuense. A situação é de tal ordem gravosa que existem nesta empresa cerca de cinquenta trabalhadores - entre atores e técnicos - sem receber há vários mesese ainda inúmeros fornecedores à espera de pagamento por serviços prestados ou materiais fornecidos.

Compilado em Gondomar, por "texasselvagem".

NOTAS DO AUTOR:
(*) JÚLIO (José de) BRITO, nasceu na cidade de Paris, em França aos 30 dias de Março de 1896 e faleceu na cidade do Porto, aos 26 de Março de 1965 (vésperas de completar 69 anos de idade).
(**) PEDRO (Cândido Almeida de Eça) RAMALHO, nasceu em Caminha (Alto Minho) no ano de 1937. É também conhecido pelos seus desenhos de mobiliário.    

Sem comentários: